Seti participa de debate sobre nova Lei de Inovação do Paraná
12/08/2019 - 17:21

O Superintendente de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Seti) Aldo Bona participou nesta segunda-feira (12) da audiência pública para discutir a nova Lei Estadual de Inovação. A Audiência foi realizada pela Comissão de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (CCTES) da Assembleia Legislativa do Paraná no auditório legislativo da ALEP. O debate foi organizado em parceria com a Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação (Assespro-PR). Durante a audiência, foi assinado um termo de cooperação com Portugal na área de inovação e desenvolvimento tecnológico.

A Seti coordenou no início do ano uma consulta pública sobre a nova Lei Estadual de Inovação, realizada no mês de maio e junho. Representantes da comunidade acadêmica e de diferentes setores da sociedade apresentaram sugestões fundamentadas em estudos ou experiências. A proposta de Lei é resultado do trabalho coletivo envolvendo a Coordenação de Ciência e Tecnologia da Seti, Sistema Estadual de Parques Tecnológicos (Separtec), Programa Paraná Inovador e especialistas de universidades paranaenses.

 “O trabalho conjunto entre o setor produtivo acadêmico e o setor produtivo privado gera soluções para os desafios que o Paraná enfrenta. A Nova Lei de Inovação é um instrumento que fomentará o desenvolvimento em áreas estratégicas do Estado”, afirmou o superintendente Aldo Bona.

O presidente da CCTES, deputado estadual Emerson Bacil, afirma que o assunto é importante e por isso decidiu abrir espaço para o debate. “Por meio da Audiência Pública poderemos contribuir e evoluir. Foi fundamental a participação de vários segmentos nessa construção coletiva”, pontua.

A Lei Estadual de Inovação estabelece medidas de incentivo à inovação, pesquisa e ao fomento científico e tecnológico para o desenvolvimento econômico-social. O Paraná é o segundo estado mais inovador do país, atrás apenas de São Paulo, segundo o Índice de Inovação dos Estados, divulgado pela Federação das Indústrias do Ceará.

 “Para alcançar a liderança, no entanto, temos que criar um ambiente cada vez mais favorável às empresas e às startups, para que elas possam inovar com excelência. O Paraná inteiro é beneficiado, com resultados para a população e também como estímulo para o surgimento de mais empresas, geração de emprego e renda, novos produtos e serviços”, explica o diretor- presidente da Assespro/PR, Adriano Krzyuy.

MINISTRO DE PORTUGAL - o Ministro de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Portugal Manuel Heitor também participou da audiência pública e contribuiu com a experiência do país no que diz respeito à inovação.

O ministro destacou que Portugal foi reconhecido pela União Europeia como país que mais possui micro e pequenas empresas inovadoras na Europa. “Sem inovação nos diversos ambientes não há desenvolvimento. É preciso investir em conhecimento para que o país possa crescer economicamente e socialmente”.

Na parte da tarde, com a presença do vice-governador Darci Piana, foi assinado um termo de cooperação entre o Estado do Paraná e Portugal, com o objetivo de estabelecer uma troca de experiências voltada ao desenvolvimento e ao fomento à inovação. “Será uma parceria que construirá, em conjunto com alternativas para o enfrentamento aos problemas do Paraná e de Portugal”, afirmou o superintendente Aldo Bona.

O presidente da CCTES deputado Emerson Bacil, o superintendente de Inovação da Casa Civil do governo estadual Henrique Domakoski e o presidente da Fundação Araucária Ramiro Wahrhaftig também assinaram o acordo.

GALERIA DE IMAGENS