Notícias

19/04/2017

Projeto de estímulo à produção de peixes da UEM recebe apoio da Seti

O Projeto “O estímulo à produção de peixes como fonte de transformação social da região Noroeste do Paraná” elaborado pelo Departamento de Zootecnia da Universidade Estadual de Maringá (UEM), foi apresentado nesta terça-feira (18) ao secretário João Carlos Gomes. O objetivo é incentivar e capacitar os produtores da região para utilizarem um sistema mais produtivo do que o convencional, chamado bioflocos. Ele ocupa menos espaço, com menor investimento e sem resíduos para o meio ambiente.

“É a democratização da piscicultura já que é acessível a todos os tamanhos de propriedades, inclusive ao pequeno produtor por ter um custo mais baixo e ser mais produtivo do que o sistema convencional. Além da possibilidade de produção de maneira menos impactante ao meio ambiente”, afirmou o coordenador do projeto, professor Ricardo Pereira Ribeiro. Ele explicou que o sistema bioflocos é uma tecnologia que utiliza uma menor quantidade de água para a mesma produtividade. Os peixes são criados em tanques sem que haja a renovação da água, neste sistema, o nitrogênio excretado pelos animais é assimilado diretamente em biomassa bacteriana que é utilizada na alimentação dos próprios peixes. Desta forma, além da diminuição do volume de água utilizado, o sistema bioflocos reduz também a quantidade de ração ofertada aos peixes.

O secretário, João Carlos Gomes, destacou a importância de proporcionar benefícios à população por meio do avanço da Ciência e Tecnologia. “A secretaria apoia projetos como este que colocam as nossas universidades como protagonistas no incentivo ao desenvolvimento socioeconômico do estado.”

O projeto prevê a construção de um centro de treinamento, tanques bioflocos, equipamentos e material de treinamento. Segundo o professor, a meta é capacitar pequenos, médios e grandes produtores de 61 municípios da região Noroeste do estado. “O treinamento será dado em uma semana, no centro de treinamento que vamos montar no campus da universidade.”

Também participaram da reunião o diretor geral da Seti, Décio Sperandio e o deputado estadual Tião Medeiros. O deputado enfatizou a importância do projeto para a região. “O apoio do Governo do Estado, por meio da Secretaria da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, com a viabilização de suporte técnico para a utilização de uma alternativa moderna e mais acessível a todo e qualquer produtor, vai contribuir para transformar o perfil, principalmente do pequeno produtor do Noroeste, cumprindo com o papel social do Estado.”

pp
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.