Notícias

12/04/2019

SETI e pesquisadores debatem conteúdo da nova Lei de Inovação

Representantes de Universidades paranaenses e do Ecossistema de Inovação de Londrina participaram de reunião, nesta sexta-feira (12), para debater sobre o texto da nova Lei de Inovação, que deverá ser encaminhado à Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP). A minuta preparada pela equipe da Secretaria da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (SETI) será enviada aos representantes para sugestões e adequações. A reunião foi realizada no espaço da Via Rural, preparado no Parque Governador Ney Braga, durante 59ª ExpoLondrina.

O diretor geral da SETI, Aldo Nelson Bona, acredita que o projeto de lei poderá seguir para votação ainda neste primeiro semestre. Durante a reunião foram apresentadas as sugestões de pesquisadores, advogados, gestores e consultores da área sobre pontos que precisam ser adequados na Lei Estadual de Inovação, aprovada em 2013, tendo em vista as alterações que foram efetivadas a partir do chamado Marco Legal de Ciência e Tecnologia, aprovado em nível nacional em 2016, que contém um texto mais abrangente.

Segundo Bona, o momento é propício para o debate e apresentação da nova Lei Estadual porque o governador Ratinho Júnior considera a inovação como uma ferramenta que poderá impactar o desenvolvimento do estado. "Entendemos que as Universidades são os meios para a implantação desta política", definiu o superintendente. Ele informou que a Secretaria já prepara um programa de Residência Técnica com foco na inovação, a ser lançado no segundo semestre.

Esta residência deverá preparar recursos humanos para atuação nas agências de inovação existentes nas Universidades e centros de pesquisas. Segundo o superintendente, os bolsistas poderão atuar de imediato, ampliando o quadro de servidores especializados em inovação.

O reitor da UEL, Sérgio Carvalho, lembrou que a inovação é fundamental para que as Universidades não deixem engavetadas as riquezas dos programas e projetos de pesquisa desenvolvidos. "Precisamos do envolvimento de todos para que as Instituições de Ensino Superior Paranaenses possam levar este conhecimento à sociedade, colaborando com o desenvolvimento regional", considerou Sérgio Carvalho.

O coordenador de Ciência e Tecnologia da SETI, Sílvio Sampaio, que integrou a equipe responsável pela revisão da atual legislação estadual, explicou que o conteúdo da nova versão permite maior liberdade para o pesquisador com foco na interação com o setor produtivo visando à transferência de tecnologia. Ele reafirmou que o momento é interessante porque o governador elenca a inovação como política pública de estado.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.