Universidades estaduais promovem ações de desenvolvimento sustentável no oeste paranaense
17/01/2020 - 17:11

No período de 20 a 30 de janeiro, universidades estaduais paranaenses estarão à frente de uma série de ações de extensão em comunidades isoladas e carentes do oeste do Estado. Com foco no desenvolvimento sustentável, as atividades integram a programação da Operação Yaguaru do Projeto Rondon, oficialmente aberta na manhã desta sexta-feira, 17 de janeiro, na Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), com a presença de autoridades governamentais e representantes da sociedade e da comunidade universitária.

A Operação Yaguaru contempla atividades nas áreas de Cultura, Direitos Humanos e Justiça, Educação, Saúde, Meio Ambiente, Comunicação, Trabalho, Tecnologia e Produção. “A ideia é contribuir para a sustentabilidade, promovendo ferramentas de cidadania, com a participação ativa de estudantes e professores universitários”, afirma Aldo Nelson Bona, superintendente de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Governo do Estado do Paraná.

Para o coordenador geral do Projeto Rondon, vice-almirante Luiz Octávio Barros Coutinho, a atuação dos rondonistas proporciona soluções criativas e inovadoras para situações adversas da população. “Muitas vezes, ante uma barreira, outro modo de ver o problema pode trazer múltiplas soluções, transformando as realidades locais”, destaca o representante do Ministério da Defesa (MD).

A seleção dos municípios contemplados pelo Projeto Rondon se baseou em fatores como Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) – abaixo de 0,7; quantidade de habitantes – inferior a 30 mil; e distância de um centro regional do Estado – menos de 300 km das localidades que vão receber os rondonistas.

Na avaliação do comandante José Antônio Gomes da Silva, coordenador regional da ação governamental, as cidades do oeste paranaense enfrentam desafios sociais, ainda que sejam desenvolvidas, em relação a outras regiões do Brasil. “Viemos somar esforços junto às lideranças comunitárias e população local para trazer benefícios permanentes às comunidades assistidas”, complementa o tenente Denilson da Costa, coordenador adjunto do Projeto Rondon.

A Operação Yaguaru conta com o apoio da 15ª Brigada de Infantaria Mecanizada do Exército Brasileiro, por meio do 33° Batalhão de Infantaria Mecanizado e 15° Batalhão Logístico. A organização militar centraliza o apoio logístico aos estudantes e professores e fornece a segurança necessária para a realização das atividades nos diversos municípios. Nesta edição, são mais de 230 rondonistas distribuídos em equipes de, no máximo, 10 pessoas (oito estudantes e dois professores).

UNIVERSIDADES ESTADUAIS - A Unioeste vai atuar com três equipes, promovendo mais de 50 oficinas para a população e agentes públicos dos municípios de Braganey, Jesuítas e Tupãssi. “As atividades propostas focam a formação de multiplicadores, para que as ações tenham caráter contínuo e permanente”, salienta o professor Marcos Freitas de Moraes, coordenador do Projeto Rondon na Unioeste, sinalizando algumas das oficinas que serão ministradas, como “humanização no atendimento de pacientes, cultivo e utilização de plantas medicinais, além de atividades culturais, como oficina de forró”.

A Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) está organizando quatro equipes de rondonistas, que vão atuar nos municípios de Braganey, Céu Azul, Diamante do Oeste e São Pedro do Iguaçu. “O intuito é propor ações de enfrentamento de alguns problemas identificados, seguindo como base a Agenda 2030, que visa criar um modelo global para acabar com a pobreza e promover a prosperidade e o bem estar de todos”, salienta o professor Silvio Luiz Rutz da Silva, coordenador das ações pela UEPG.

Temas como preservação ambiental, práticas renováveis, coleta seletiva e reciclagem, agroecologia, produção agropecuária, manejo de animais e prevenção de acidentes com agrotóxicos serão trabalhados de forma intensa nesta edição do Projeto Rondon, no Paraná. É o que garante o diretor de Extensão da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura da Universidade Estadual do Norte do Paraná (Uenp), professor Rui Gonçalves Marques Elias, coordenador da Operação Yaguaru na instituição. Esse conteúdo, segundo o docente, está sendo preparado pelas duas equipes da Uenp, que vão atuar nas cidades de Tupãssi e Vera Cruz do Oeste.

“Empreendedorismo, cooperativismo, associativismo, incentivo ao turismo e capacitação em artesanatos e culinária são outras temáticas que estão sendo preparadas pelos nossos rondonistas”, acrescenta o professor Rui. Além disso, ele indica mais assuntos que serão ministrados nas comunidades, a exemplo de oficinas de produção de geleias; capacitação para cuidadores de idosos; atualização em saúde bucal para os profissionais de saúde; capacitação para conselheiros tutelares; primeiros socorros; entre outros.

Na cidade de Lindoeste, a equipe de rondonistas da Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro) vai promover oficinas e cursos para estudantes e professores da rede pública de ensino e servidores lindoestenses. Dentre os temas: cursos de metodologias ativas para professores, formação de agentes comunitários de saúde e de redação; e oficinas de brinquedos recicláveis e com conselheiros municipais de educação e saúde.

O grupo também planeja revitalizar o espaço infantil da Biblioteca Cidadã Luiz Segundo Valmini, proporcionando um ambiente mais favorável ao aprendizado dos públicos atendidos. “O objetivo é deixar essa obra como legado do Projeto Rondon para a comunidade local, oportunizando acesso à cultura, ao lazer e aos estudos”, conclui o professor Valdemir Antoneli, coordenador do Projeto Rondon na Unicentro.

PROJETO RONDON - Coordenado pelo Ministério da Defesa, com o apoio de outros ministérios, a ação do Governo Federal é realizada em parceria com governos estaduais e municipais e instituições de ensino superior (IES). Orientado pelos princípios da democracia, da responsabilidade social e da defesa dos interesses nacionais, o Projeto Rondon tem dois grandes objetivos: a formação do jovem universitário como cidadão e o desenvolvimento sustentável em comunidades carentes.

Em julho de 1967 foi realizada a Operação Piloto ou Operação Zero, no Rio de Janeiro. Em 1989, o Projeto Rondon teve as atividades encerradas. O retorno ocorreu em janeiro de 2005, no Amazonas.

Neste ano, pela primeira vez, as operações se baseiam em documento assinado em 2015, na Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), “Transformando Nosso Mundo: a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável”, que abrange dimensões econômica, social e ambiental.

MUNICÍPIOS - Confira aqui as atividades previstas pelas universidades estaduais paranaenses para a Operação Yaguaru do Projeto Rondon, no período de 20 a 30 de janeiro.

GALERIA DE IMAGENS