Ex-aluna da UEL vence prêmio internacional Santander Uni-Covid-19
11/01/2021 - 11:30

Ex-aluna do curso de Pedagogia da UEL, Heloísa Botelho, é uma das finalistas do prêmio internacional Uni-COVID 19, uma iniciativa do Banco Santander para apoiar projetos acadêmicos que possam atenuar os impactos relacionados à situação de emergência provocada pela pandemia da COVID-19.  O resultado foi divulgado no mês passado, em Portugal. A disputa envolveu 336 propostas inscritas que passaram por três etapas eliminatórias.

Ao final a comissão organizadora selecionou 14 ideias ou iniciativas de alunos de Universidades portuguesas. Heloísa é mestranda do curso de Ciências da Educação, Administração, Regulação e Políticas Educativas da Universidade de Évora. A mestranda atua como servidora da Rede pública de Educação Municipal de Londrina e da Secretaria Estadual de Educação do Paraná.

Pesquisa – O proposta apresentada pela egressa da UEL “O protagonismo da Mulher em tempos de COVID-19” faz parte do projeto de pesquisa desenvolvido na pós-graduação. A pesquisa propõe a interação entre estudantes de países de língua portuguesa para o desenvolvimento de relações interpessoais e a mediação de conflitos. Ela explica que durante a pesquisa foi desenvolvida uma atividade para mapear possíveis obstáculos relacionados à educação, que poderiam afetar a aprendizagem dos estudantes em virtude do confinamento provocado pela pandemia.

“Pude constatar conflitos associados à questão dos papéis sociais na divisão das tarefas domésticas, com uma sobrecarga nas meninas, e algumas nuances que me levaram a um despertar para o agravamento do problema da violência doméstica contra a mulher”, enumera. O projeto propõe trabalhar com a temática Protagonismo Juvenil,  como estratégia de enfrentamento ao problema com a criação de uma sala virtual e ação educativa e cultural. A proposta contempla ainda um projeto educativo, no âmbito do desenvolvimento de habilidades das tendências pedagógicas para o século 21.

“Identificar o que coloca o futuro, o desenvolvimento e esse sucesso em risco é essencial para encontrarmos soluções e agir a tempo. Combater qualquer tipo de violência, e a violência contra meninas e mulheres torna-se essencial, e deve ser um objetivo de todo país e sociedade que queira atingir desenvolvimento e a evoluir, a educação é uma estratégia, uma arma crucial nesse processo”, conclui Heloisa Botelho.

Últimas Notícias