Pesquisadora da UEL mobiliza rede municipal de Jataizinho e reforça educação ambiental
19/11/2019 - 09:24

"O curso ofertado promoveu um contato mais direto com a educação ambiental, além de proporcionar possibilidades para a elaboração de atividades que busquem o desenvolvimento de uma visão crítica em relações aos problemas ambientais, não só dos alunos, mas da família também". A declaração é da professora Simone Aparecida de Andrade Vallini, da rede municipal de educação de Jataizinho, norte do estado.

"A oportunidade foi a motivação para tentar mestrado em Geografia, pensando nos problemas ambientais vivenciados no nosso município, atrelando a questões do planejamento urbano. É um passo importante para crescimento profissional". As expectativas são da Andreia Virginia, que também é professora da rede municipal de Jataizinho,

As professoras Simone e Andreia são alunas do curso Formação de Educadores Ambientais voltados para professores da rede de educação do município de Jataizinho. A iniciativa do curso é da estudante do Programa de Pós-Graduação em Geografia, em nível de doutorado, Clarissa Gaspar Massi, orientanda da professora Eloíza Torres, do Departamento de Geociências, do Centro de Ciências Exatas (CCE).

A atividade formativa conta com apoio da promotora Revia de Paula Luna, do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Proteção ao Meio Ambiente, Habitação e Urbanismo do Ministério Público do Paraná. Durante as atividades participaram como professores convidados, além da UEL, nomes das universidades do Norte do Paraná (UENP), Federal de Santa Maria (UFSM), Federal da Integração Latino-Americana (UNILA) e Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR).

"Esse curso ajuda os professores da rede pública de educação de Jataizinho a refletir com seus alunos, como eles podem trabalhar a educação ambiental de maneira interdisciplinar e permanente", afirma Clarissa. Ela aponta como um problema comum as queimadas na área urbana. Outro desafio era a reciclagem de lixo com a separação em domicílios. "A educação ambiental ultrapassa a escola, chegando às famílias. Isso envolve questões sociais também", ressalta a doutoranda.

Clarissa Massi explica que a educação ambiental é tema da sua tese e o curso foi viabilizado na modalidade semipresencial, sendo 44 horas presenciais e 30 horas a distância (EaD). Todo o material para o curso foi disponibilizado por Clarissa, formada em Geografia e bacharel em Direito. Nas atividades a distância são cerca de 40 professores e o grupo presencial tem a participação de 12 professores. Antes de elaborar o conteúdo, Clarissa aplicou um questionário junto aos participantes para coletar informações sobre a temática do curso.

"Disponibilizo os conteúdos EaD - referências, textos, vídeos, links, - por meio do Google Class Room, por ser uma plataforma gratuita", explica Clarissa. O Google Class é um sistema para gerenciar conteúdo voltados para as escolas e que busca facilitar a criação, a distribuição e a avaliação de trabalhos escolares. O aplicativo foi lançado pela Google em 2014.

Clarissa Massi contabiliza os resultados do curso de formação. Os professores de Jataizinho apresentaram 17 trabalhos durante o Encontro Paranaense de Educação Ambiental (EPEA), evento internacional sediado na UEL de 15 a 17 de outubro. Juntamente com o EPEA foi realizado o 4º Colóquio Internacional em Educação Ambiental e a 2º Mostra Paranaense de Educação Ambiental.

Segundo ela, muitas professoras tiveram a iniciativa de revitalizar espaços das próprias escolas para realização de atividades com os estudantes, potencializando o processo de ensino e de aprendizagem. "Muitas foram à escola, no final de semana, para ajudar nessa revitalização". Ainda no Desfile de 7 de setembro, estudantes da rede desfilaram tendo o meio ambiente como tema.