Três novos tratores passam a fazer parte da frota do Cedeteg e da Fazenda-Escola
14/02/2020 - 10:14

O campus Cedeteg recebeu novos equipamentos que vão otimizar o trabalho nas dependências da unidade universitária e, também, na Fazenda Escola da Unicentro. A aquisição de um trator 4×4 com cabine e de outros dois tratores cortadores de grama foi possibilitada por um convênio com a Superintendência Geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Paraná (Seti), através da Unidade Gestora do Fundo Paraná, a UGF. O valor destinado a compra dos equipamentos foi de 452 mil reais.

Segundo o responsável pela Divisão de Agricultura da Fazenda Escola, professor Leandro Rampim, um trator com cabine era uma demanda antiga e a aquisição vai garantir mais segurança para os operadores, além de contribuir para a formação dos acadêmicos. “Vem para aprimorar o ensino, permitindo a gente utilizar essas máquinas nas aulas, eles observarem, constatarem como é importante ter a máquina adequada para cada operação, utilizando cada implemento – quando é necessário, quando é recomendado”, diz.

Raciocínio que é completado pelo diretor da Fazenda Escola, professor Marcelo Cruz Mendes. “Possibilita para nós conseguir executar as atividades sempre com a melhor qualidade possível e ao aluno, também, a possibilidade de ter o contato com máquinas e equipamentos que possibilitam essa melhor qualidade”.

De acordo com ex-diretor do campus Cetedeg e agora reitor da Unicentro, professor Fábio Hernandes, os tratores possibilitarão suprir as demandas do campo experimental com mais agilidade. Ele também lembra que as atividades na área, em alguns momentos, eram prejudicadas devido ao número reduzido de maquinário. “Assim, a gente consegue atender a demanda da nossa comunidade com mais facilidade e com mais tranquilidade’, afirma.

Para o atual diretor do Cedeteg, professor Ricardo Miyahara, os tratores cortadores de grama também contribuirão para otimizar a manutenção da área do campus. “Os equipamentos menores para roçar grama, por exemplo, vão agilizar muito o processo da limpeza do campus e isso faz com que a hora que o funcionário gastaria para fazer uma área de roça de cortar grama, fará com um tempo muito menor. Então, vai sobrar muito mais tempo para ele trabalhar em outras atividades, então, deixa mais eficiente o processo de manutenção do campus”.

O pedido dos novos equipamentos foi feito ainda na antiga gestão da universidade. Por isso, o professor Osmar Ambrósio de Souza, que ocupava o cargo de reitor na época, também destacou a importância da aquisição dos maquinários. “Para nós, foi uma satisfação muito grande atender essa reivindicação, que é um pleito justo”, finaliza.