UEM dá posse ao Conselho de Integração Universidade-Comunidade
02/12/2019 - 16:55

O Teatro Calil Haddad foi palco da solenidade de posse dos membros do Conselho de Integração Universidade-Comunidade, que tem como principal atribuição fortalecer a relação entre a Universidade Estadual de Maringá (UEM) e a sociedade. A cerimônia ocorreu no final da tarde deste domingo (1º) e o reitor Julio César Damasceno foi o primeiro a assinar o termo de posse, como presidente do novo Conselho, seguido pelo vice-reitor Ricardo Dias Silva.

Ao manifestar-se, Damasceno convidou os presentes a voltarem no tempo, em um exercício de imaginação que os levaria a Maringá dos anos 1960, quando um conjunto de pessoas se mobilizava para trazer uma universidade pública para a cidade. “A UEM é resultado do esforço e da coragem de todos que nos antecederam. É o conjunto deste trabalho que escreveu os 50 anos de história da Universidade. E hoje, aqui, estamos começando a preparar o futuro da nossa instituição”, disse o reitor, ressaltando a importância do papel do Conselho de Integração Universidade-Comunidade.

Segundo o reitor, a nomeação dos novos conselheiros não se presta a cumprir apenas uma agenda burocrática. “A UEM os considera parceiros e todos terão voz ao longo de todo o mandato deste novo Conselho“, afirmou ele.

Convidado a falar em nome dos empossados, o deputado Evandro Araújo (PSC) reconheceu que é fundamental avançar na integração e no diálogo entre universidade e comunidade. Declarando-se um “soldado em defesa da universidade pública”, o deputado disse que os novos conselheiros têm a possibilidade de enriquecer o debate e vencer algumas visões distorcidas em torno do ensino superior público. “Nosso papel é defender a UEM para fazer dela uma Universidade cada vez mais reconhecida”, disse, destacando que as críticas, quando necessárias,  deverão ter como propósito contribuir para o crescimento da instituição.

Em seu pronunciamento, o vice-reitor apresentou números que demonstram a força da UEM, que já formou cerca de 75 mil profissionais em diferentes áreas, está entre as 80 melhores universidades da América Latina, entre as vinte melhores do Brasil e no Paraná aparece entre as três universidades que mais se destacam nos diferentes rankings. Dias Silva, também falou de conquistas recentes como aprovação das cotas para negros e a concessão de auxílio alimentação a estudantes em situação de vulnerabilidade socioeconômica. “Nosso compromisso social é diferente em relação aos nossos parceiros das instituições privadas”, disse.

Ele ainda falou de gargalos como a não reposição do quadro de servidores e o número expressivo de pedidos de aposentadoria e destacou os avanços com o término de várias obras, o programa de internacionalização mais estratégico e abrangente e a implantação do Laboratório de Inovação em Saúde, instituído para fortalecer a saúde regional por meio de trabalho colaborativo.

De acordo com Dias Silva, é neste cenário desafiador para a universidade pública no Brasil, que o Conselho de Integração Universidade-Comunidade terá um papel importante, promovendo a união entre a comunidade acadêmica e a sociedade para a construção dos próximos 50 anos da UEM.

A solenidade contou dois solos  de piano dos alunos Luiz Cioffi de Melo e Yuri Prieto Marlos Nobredo.

 

Sobre o Conselho

O Conselho de Integração Universidade-Comunidade está previsto no artigo 22 do Estatuto da UEM, sendo que sua primeira formação tomou posse em agosto de 2012.

Ele reúne reitores e vice-reitores de gestões anteriores e integrantes de várias esferas da comunidade, dentre os quais representantes dos movimentos sindicais e populares, do governo paranaense, da assembleia legislativa, do poder executivo e da câmara municipal de Maringá, do Conselho Municipal de Educação, do Ministério Público, da Comunidade Científica, da Associação dos Municípios do Setentrião Paranaense (Amusep), do Conselho de Desenvolvimento Econômico de Maringá (Codem) da Sociedade Rural de Maringá e da Associação Comercial e Empresarias de Maringá.