Estudante da Unicentro é finalista em programa de inovação
10/01/2020 - 14:39

A Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro) encerrou 2019 como a 18° universidade mais inovadora do Brasil, segundo o Ranking Universitário Folha de São Paulo (RUF). Não à toa, no ano passado, nove projetos oriundos da Unicentro ficaram entre os finalistas do programa Sinapse de Inovação Paraná, evidenciando o potencial científico, tecnológico e empreendedor da instituição.

Um desses projetos, Arcanum Alquimias, da estudante de doutorado do Programa de Pós-Graduação em Química (PPGQ), Camila Nascimento Giongo, propõe o desenvolvimento de um sabonete formulado com matérias-primas naturais, com alto percentual de compostos de origem vegetal, isentas de matéria animal e de derivados de petróleo. “Essas matérias-primas têm baixo potencial alergênico e, em relação ao meio ambiente, são consideradas mais suscetíveis à biodegração”, explica a pesquisadora da Unicentro, destacando que os consumidores serão beneficiados com um produto atóxico.

A grande inovação e tecnologia empregada é a elaboração e incorporação de nanopartículas de óleos essenciais no sabonete, além de outros ativos naturais com protocolo de produção verde, para incorporação em sabonetes oriundos da saponificação de óleos vegetais. “A nanoestruturação desses ativos é de extrema importância para a manutenção físico-química no processo produtivo do sabonete”, afirma Camila, frisando o processo de produção, com o percentual reduzido de utilização de água, e as características do produto final, quanto à eficácia e biodegradação, livre de embalagens plásticas.

O projeto Arcanum Alquimias contou com o apoio do professor Najeh Maissar Khalil, do Departamento de Farmácia da Unicentro, orientador da estudante no PPGQ. “Ela conseguiu desenvolver o projeto em paralelo ao processo de finalização da tese de doutorado”, destaca o docente, reconhecendo o empenho e comprometimento da aluna.

No doutorado, Camila desenvolve e caracteriza nanopartículas de ativos naturais. “Focamos no desenvolvimento de nanopartículas que tenham processos escalonáveis, baixo custo de produção e, principalmente, sejam adequadas à respectiva função, com estabilidade físico-química nas condições de aplicação”, esclarece a estudante.

Em 2019, o Sinapse da Inovação Paraná alcançou a marca de 1.850 projetos inscritos e contemplou 100 finalistas.

O PROGRAMA - Idealizado em 2008 pela Fundação Certi, o Sinapse da Inovação é um programa de incentivo ao empreendedorismo inovador, que busca transformar ideias de estudantes, pesquisadores, professores e empreendedores em negócios de sucesso, oferecendo recursos financeiros e capacitações.

Com seis edições realizadas em Santa Catarina, uma no Amazonas e outra no Espírito Santo, o programa chegou ao Paraná em 2019, por meio do Governo do Estado, da Companhia de Tecnologia da Informação e Comunicação do Paraná (Celepar) e da Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico. O Sinapse da Inovação conta ainda com o apoio do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Paraná (Sebrae/PR) e da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep).