Inovação das universidades estaduais do Paraná é reconhecida em ranking internacional
03/09/2021 - 08:32

Confira o áudio desta notícia

As Universidades Estaduais de Londrina (UEL), Maringá (UEM), Ponta Grossa (UEPG) e do Oeste do Paraná (Unioeste) foram classificadas entre as principais instituições de ensino superior do mundo, segundo o World University Rankings, divulgado na quarta-feira (1º). O levantamento é realizado anualmente pela consultoria britânica THE World University Rankings e publicado pela Times Higher Education (THE), uma revista de educação do jornal The Times.

As instituições estaduais apresentaram uniformidade em todos os indicadores da pesquisa e se destacaram no quesito inovação, cujos índices de classificação se aproximaram das instituições brasileiras mais bem avaliadas. Esse critério está relacionado diretamente à transferência de conhecimento para o setor produtivo.

É o caso da UEL, que apresentou índice 53,1, superando as universidades de São Paulo (USP) e de Campinas (Unicamp) classificadas, respectivamente, com notas 42,3 e 47,7. A Unioeste alcançou índice 42,8 nessa categoria.

O superintendente estadual de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Aldo Nelson Bona, reconhece o empenho dos servidores das instituições, apesar de todas as restrições impostas pela pandemia. “As pesquisas científicas demonstram a relevância da comunidade acadêmica e científica para a sociedade, e de forma ainda mais acentuada nesses dois últimos anos, na compreensão e no gerenciamento dessa crise sanitária. O destaque em mais um ranking internacional confirma o resultado desse trabalho”, destaca Bona.

Ele ressalta que os sistemas de ensino superior e de ciência e tecnologia do Paraná vêm respondendo com êxito aos desafios impostos pela Covid-19. “As estruturas laboratoriais das universidades mantiveram plenamente as atividades, comprometidas em frear o avanço dessa doença”, enfatiza.

RANKING – As quatro universidades estaduais do Paraná foram classificadas na faixa 1.200+, com índice geral no grupo entre 10,6 a 22,3. A iniciativa considerou 13 indicadores, agrupados em cinco categorias: ensino, pesquisa, citações, inovação e internacionalização. O critério pesquisa contemplou aspectos como volume, investimento e reputação das universidades, enquanto o item citações avaliou a influência da produção científica das instituições.

Em sua 18ª edição, a THE World University Rankings avaliou mais de 1.600 instituições de ensino superior de 99 países. O Brasil figurou com 59 instituições classificadas. Ao todo, foram analisados dados que incluem 108 milhões de citações em mais de 14 milhões de publicações científicas de todo o mundo.

Últimas Notícias