Mais jovem doutora do País em sua área de estudos, egressa da UEL recebe homenagem
23/11/2022 - 14:10

Como forma de reconhecer os jovens talentos e valorizar o trabalho desenvolvido pelos docentes da Universidade Estadual de Londrina (UEL), a reitora Marta Favaro recebeu a egressa do Programa de Pós-Graduação em Estudos da Linguagem (PPGel), Susanah Yoshimi Watanabe Romero, que, após defender a sua tese de doutorado, em agosto, aos 25 anos, se tornou a mais jovem doutora do País em sua área de estudos. Ao mesmo tempo, tornou-se também a segunda doutora mais jovem do Brasil quando consideradas todas as áreas de conhecimento.

“É isso que faz com que a universidade seja grande como ela é: as pessoas que estão aqui e o trabalho que elas desenvolvem. Se não fossem as pessoas comprometidas, não teríamos resistido a tantas intempéries. É muito bom poder contar com pessoas comprometidas e que fazem um percurso tão brilhante quanto foi o seu aqui na universidade”, disse a reitora.

Sob a orientação da professora Edina Panichi, Susanah Yoshimi Watanabe Romero defendeu a tese com 25 anos e 10 meses. Intitulada “Entre a risada e a aletria: estilística lexical e processos de transformação em Guimarães Rosa”, a pesquisa traz uma análise de dois textos do escritor mineiro, que morreu em novembro de 1967. 

Emocionada, a jovem doutora expressou a sua gratidão à Universidade Estadual de Londrina. “Foi aqui, onde, para muito além da inteligência, minha vida, minha alma e o meu coração foram amadurecendo”, definiu.

“Este reconhecimento representa toda a minha trajetória na universidade, todos os dias que passei aqui. É um lugar que eu amo, de verdade. Entrei aqui adolescente, com 17 anos, e hoje, defendendo meu Doutorado, estando casada, já não sou mais tão jovem e já construí a minha personalidade”, disse. “Tudo foi graças à UEL, às pessoas que eu conheci. Fui amadurecendo e abrangendo meus horizontes com pessoas muito diferentes de mim, porque aqui tem pessoas de todos os tipos”.

Suzanah recebeu a homenagem ao lado do marido, Rodrigo do Carmo. Também estavam presentes a sua orientadora no Doutorado, professora Edina Panichi, a diretora do Centro de Letras e Ciências Humanas (CLCH), Laura Brandini, a coordenadora do Programa de Pós-graduação em Estudos da Linguagem, professora Fabiane Altino, e a chefe do gabinete da Reitoria da UEL, Lisiane Freitas de Freitas. 

O próximo objetivo, conta a orientadora e amiga, Edina Panichi, é continuar estudando a forma literária do escritor mineiro Guimarães Rosa no Pós-doutorado, cujo projeto de pesquisa já começou a ser elaborado.

“É muito gratificante para um orientador, no meu caso, verificar que uma aluna jovem como ela tem capacidade de desenvolver todo esse cabedal de conhecimento. Isso serve como incentivo para outros estudantes saírem da graduação e irem direto para a pesquisa, porque acontece que muitos acham difícil, impossível entrar no Mestrado ou Doutorado após a graduação, e não é impossível”, diz.